O QUE É O BALLET HOMESCHOOLING?

O BALLET HOMESCHOOLING em livre tradução, significa literalmente
Escola de Ballet em Casa.
É um treinamento 100% online, criado com o único objetivo de ensinar adultos comuns a dançar Ballet, partindo do absoluto zero. Bastando para isto, ter uma conexão de internet.

F.A.Q - PERGUNTAS FREQUENTES

1 - NUNCA FIZ AULAS DE DANÇA, POSSO FAZER O CURSO ONLINE MESMO ASSIM? SERÁ QUE VALE A PENA? VOU CONSEGUIR APRENDER?

Sim, sem dúvida. Temos um curso compatível com o nível de conhecimento de cada aluno, desde o iniciante (zero) aos mais avançados. O iniciante, sem nenhum conhecimento prévio, começará do início, do zero e será guiado e orientado durante todo o caminho para atingir os níveis mais avançados.

Os cursos são organizados didaticamente dentro do método, o que garante a transmissão dos conteúdos de acordo com o nível de saber do aluno, possibilitando sua evolução, aperfeiçoamento e conquistas dentro da técnica do Ballet.

O fato do curso ser online, é apenas uma modalidade de ensino à distância, que existe há muitos anos. Desde a década de 60 existiam cursos por correspondência, onde todo o material de estudo chegava à casa dos alunos através dos Correios. Com o aparecimento da tecnologia, surgiu uma infinidade de cursos, inclusive a nível universitário e de pós graduação.
E a partir do acontecimento da pandemia Corona Vírus, a possibilidade de aprendizado por meio virtual se provou possível e até desejável por si só, dispensando maiores explanações sobre a validade desta forma de ensino/aprendizagem. O ensino/aprendizado online é uma realidade atual, possível, eficiente e eficaz, dependendo contudo da participação e empenho do próprio aluno, da mesma forma que no meio presencial, o aluno precisa se envolver, se dedicar a estudar e cumprir as tarefas, propostas e atividades colocadas por seus professores.

Viva esta frase na vida prática: "aprender não ocupa espaço", por isso acredito que tudo o que se aprende é tudo o que se leva da vida, então super vale a pena. Não por ser mais uma coisa que se aprende, mas sim como uma chance de aprender algo que realmente vai fazer a diferença no dia a dia, na saúde, no futuro, no corpo, na mente, nos sentimentos, na organização de um olhar mais apurado e refinado de si e do mundo, na postura, na respiração, na percepção do corpo e do ambiente, na sensibilidade, na inteligência. Poderia ficar citando por horas os benefícios, mas de nada vai adiantar se você não se permitir experimentar e sentir na própria pele.

Dito isso, eu ainda preciso te contar uma coisa.
Ou melhor: vou te contar provavelmente a história mais contada e recontada de todos os tempos.
A primeira pessoa que contou essa história, lá pelos anos de 348 A.C., foi Platão (o próprio), mas eu vou contar aqui do meu jeito.

Imagine a seguinte situação:
Dois homens viviam dentro de uma caverna e, por medo ou incerteza, nunca saíam de lá - ou sequer chegavam perto da saída. E por nunca terem chegado perto da saída, tudo o que eles conseguiam ver eram as sombras daquilo que existia lá fora. Aquilo era o que eles conheciam como realidade.

Quer dizer que aquilo era a realidade? Não.
Mas de dentro da caverna era impossível saber o que tinha lá fora.

Agora, por que eu estou te contando isso?

Algumas poucas pessoas vão deixar de fazer o Ballet Homeschooling por que nunca dançaram e não têm ideia de que é assim para todas as pessoas antes delas começarem a aprender a dançar.

O problema é que, sem fazer o Ballet Homeschooling, fica difícil de entender como realmente é possível aprender a dançar Ballet.

Tentar descobrir sem fazer o treinamento é o mesmo que aqueles homens tentarem entender o mundo fora da caverna sem contudo sair da caverna.

Em outras palavras, o curso Ballet Homeschooling abre os seus olhos para uma realidade diferente da que você vive.

E é isso que aumenta drasticamente as chances de você aprender a dançar, por que você vai ficar em contato único e exclusivo, focada(o) em colocar em prática os ensinamentos do Ballet no seu próprio corpo, não vai ter uma sala cheia de outros alunos para dispersar e dividir a atenção do professor e passar anos como que escondida dentro de uma caverna esperando para tirar dúvidas ou ser corrigida(o)

Logo, se você não sabe dançar Ballet, a maior recomendação que eu posso te dar é se inscrever no Ballet Homeschooling enquanto pode.

Fez sentido para você? Se ainda não, deixa eu complementar esse raciocínio com um fato simples.

No outro dia eu li uma estória que me fez lincar os fatos: um professor estava reunido com uma turma de alunos e um deles estava contando o que aconteceu com o filho de 4 anos. "Certo dia, o guri acordou às 5 da manhã e foi bater no quarto do pai com a seguinte dúvida: - Pai, quando eu crescer eu vou poder casar?

E então o pai brincando falou:
- Vai, vai poder casar sim. - Porque, já tá de olho em alguém, filho?
E o menino continuou: - E eu vou poder ter filho?
- Vai poder ter filho, sim.
- E o que você vai ser dele, pai?
- Eu vou ser avô.
- Mas e o vovô?
- O seu avô vai ser bisavô do seu filho.
-Ah… Mas pai, quando eu casar, a babá vai morar na minha casa?
O pai riu e explicou uma coisa para o filho que me fez ficar presente para um fato curioso. A preocupação do filho:
Ele tem 4 anos. Só vai ao banheiro se alguém levar. Ele só come se alguém der a comida. Ou seja, ele está o tempo todo com alguém: pai, mãe, vô, vó, babá. Foi aí que a dúvida surgiu na cabeça da criança:
Se ele vai casar, morar em outra casa, longe da família, quem vai cuidar dele? Na cabeça dele, é inconcebível não ter uma babá. E aí ele diz a grande percepção do fato: A mente da criança vê o futuro limitado ao que ele conhece do presente.

Por que eu estou te contando isso?

Porque na minha cabeça é muito difícil você conseguir visualizar um produto capaz de te ensinar a dançar Ballet com a mente que você tem agora.

Infelizmente, sem fazer o Ballet Homeschooling, vai te faltar distinções e conceitos que serão determinantes para você conseguir visualizar como o meu curso se encaixa na sua realidade e que seja capaz de gerar tanta transformação na sua vida.

Logo, se você não sabe dançar Ballet, seu primeiro passo é se matricular no BH enquanto você ainda pode, se ainda estiverem sobrando vagas.

Reza a lenda que lá pelos idos de 1500, chegaram por aqui umas caravelas com os portugueses. Só que olha que viagem:
Parece que os relatos da época indicam que os índios que viviam aqui não "viram" as caravelas chegarem. Viam só as ondulações do mar. Porque era uma situação tão improvável na cabeça dos índios, que eles não conseguiam ver acontecendo. Porque eles achavam impossível que dez naus e três caravelas pudessem surgir no mar e atracar em terra firme. Era uma realidade que eles nunca imaginaram que fosse ocorrer. E as vezes é isso que acontece: as oportunidades passam na nossa frente e a falta de conhecimento ou mesmo maturidade, não nos permitem enxergar.

Por isso, quando alguém me pergunta: Mas eu não tenho nenhuma experiência com dança, será que eu devo fazer o Ballet Homeschooling? Minha resposta é sempre um categórico: sim.

Por quê? Porque o Ballet Homeschooling é o equivalente a sair da caverna. É o equivalente a dar um upgrade na sua mente para que você consiga começar a observar as oportunidades que estão na sua frente, mas que você está cega(o) para elas. Porque de dentro da caverna não dá para ver. Você precisa sair dela para enxergar.

O que você tem que fazer agora é dar o primeiro passo em direção a "sair da caverna" e se inscrever no Ballet Homeschooling.

Imagem

2 - SE EU COMPRAR O CURSO ONLINE, EM QUANTO TEMPO VOU CONSEGUIR DANÇAR BALLET?

Estudos estatísticos ainda estão em andamento, visto que o ensino do Ballet através da modalidade prática em EAD, ao contrário da modalidade teórica que já existe há muitos anos, é muito recente. Porém, esta forma de ensinar/aprender vem se provando eficiente à medida de cerca de 50% ou até 1/3 do tempo que um(a) aluno(a) levaria para aprender de forma presencial. Este fato se dá, principalmente por que a(o) aluna(o) tem as aulas gravadas à sua disposição o tempo todo para praticar quantas vezes quiser. Não é necessário esperar o dia da aula, a próxima aula para estudar, tirar dúvida, aprender e evoluir.
A internet e, a modalidade de ensino online é relativamente recente, porém, quem viveu a década de 80 vai se lembrar das aulas de ginástica e dança da atriz Jane Fonda em vídeos VHS, uma verdadeira febre daquela época.

De fato o Ballet é uma arte complexa que tem muitos conteúdos a serem aprendidos e habilidades a serem desenvolvidas para que virem uma aquisição de propriedade do aluno. E para se dançar como um(a) profissional são necessários alguns anos. Mas neste momento não é esta a proposta dos nossos cursos. Não pretendemos, neste momento, neste primeiro módulo de curso, tornar nossos alunos profissionais de dança. Para isto existem outros cursos e até modalidades diferentes de curso.

Com o "Ballet Homeschooling" pretendemos construir as bases para que pessoas adultas comuns consigam trilhar a jornada de ir do zero e atingir a condição de dançar Ballet. É uma espécie de alfabetização para que com a evolução atinja o objetivo de dançar nas sapatilhas de ponta, e assim por diante, tal qual uma bailarina profissional.

Digo alfabetizar por que funciona da mesma forma: primeiro se aprende a falar, depois se reconhece e se juntam as letras para formar as palavras, frases, se representam os pensamentos e coisas com estas palavras e por fim, se escreve a poesia.

Dito tudo isto, para ser totalmente honesta e realista, não é a modalidade online que vai determinar absolutamente o desenvolvimento ou não da(o) aluna(o), mas sim, o empenho e dedicação pessoal de cada um(a). O conteúdo é o mesmo e segue uma gradação igualzinho a uma sala de aula física, com a diferença que a aula presencial tem dia e hora marcadas e quando este tempo acaba, acabou. A(o) aluna(o) terá que sair e aguardar uma próxima oportunidade para estar com o(a) professor(a) e voltar a fazer outra aula e aprender novos conteúdos ou mesmo revisar os já apresentados. Nem sempre as dúvidas são resolvidas por completo numa aula presencial. Nem sempre o(a) professor(a) pode corrigir a todos durante uma aula e assim, o tempo vai passando sem que a(o) aluna(o) saiba ao certo sobre seu desenvolvimento.

Mas quando se tem as aulas gravadas, à disposição, não é preciso faltar, perder aula, esperar a correção nem todo este tempo. Simplesmente as aulas estão disponíveis 365 dias por ano, 24 horas por dia, ou seja, o tempo todo. Você pode fazer suas aulas quando quiser, quantas vezes precisar.

Ao adquirir o treinamento "Ballet Homeschooling", a(o) aluna(o) recebe acesso e suporte, com aulas e avaliações ao vivo online, por um ano e ainda leva mais um ano para fazer seu curso o quanto quiser, de onde estiver, seja pelo computador, tablet ou celular, basta ter uma conexão de internet. Ou seja, são (2) dois anos de acesso. Além de todo o material extra vitalício publicado online diariamente, semanalmente e mensalmente, as lives de tira dúvidas e correção, as aulas ao vivo,  e material didático diverso armazenado na plataforma, como vídeos, áudios, e-books, vídeo aulas, meetings com a turma, entre outros que por ventura vierem existir a partir das novas tecnologias disponibilizadas.
O BH ainda oferece um super bônus que é um evento presencial de imersão durante um fim de semana para fazer aula presencial, conhecer a turma e trocar muita informação, conhecimento, histórias e vivencias. 

Num curso tradicional, a experiência de aulas presenciais, com uma rotina de 2 a 3 horas de prática semanal é possível verificar que entre 4 a 6 meses a(o) aluna(o) já consegue entender e executar movimentos, exercícios e passos básicos do Ballet, e até mesmo, ser capaz de seguir uma sequência coreográfica simples.

Imagine se a prática for diária? Este desenvolvimento será ainda melhor e muito mais acelerado. Cada ano de prática contínua na modalidade online, poderá corresponder a cerca de 1,5 à 2 anos do que se faria na modalidade presencial. Ou seja, se consegue acelerar o aprendizado, reduzindo o tempo em até metade do que se faria na modalidade presencial.

3 - MAS EU NUNCA FIZ BALLET ANTES, NÃO TENHO POSTURA, NÃO TENHO RITMO, NÃO TENHO COORDENAÇÃO?

Só preciso te dizer uma coisa: mas é exatamente por isto que você precisa fazer o Ballet Homeschooling.

E vou te dizer mais, de forma definitiva. Mas antes preciso te contar uma história:

A Sra. Therezinha foi uma aluna que tive no meu studio.
Ela chegou dizendo o seguinte:
"-Eu sempre quis aprender a dançar, mas meu pai tinha a mente muito fechada e nunca permitiu que eu dançasse. Mais tarde quando me casei, meu marido também me ocupava e falava que dançar não era coisa de mulher direita. Mas agora todos dois já morreram, então eu finalmente posso fazer o que eu quiser, e eu quero aprender a dançar".

Então ela começou a dançar Ballet, depois Dança do Ventre, Dança Cigana, Alongamento, Yoga. Enfim, Sra. Therezinha ia todos os dia ao studio e passava suas tardes muito feliz da vida, realizando um sonho.

Só um pequeno detalhe para você entender por que te contei essa estória. A  Sra. Therezinha tinha 75 anos de idade quando começou esta jornada. Pessoalmente ela se tornou uma grande inspiração para mim e não só para mim, mas para todo mundo no studio.

Ela nunca se sentiu ridícula nem intimidada pelas opiniões alheias ou achava que era tarde demais. Simplesmente se libertou de tudo e de todos e fez seu sonho acontecer. Infelizmente Sra. Therezinha se mudou de cidade antes que eu pusesse fotografá-la ou filmá-la em aula.
 
Se Sra. Therezinha conseguiu, claro que você consegue. Não vai conseguir se tornar bailarina do Teatro Municipal, mas vai conseguir aprender a dançar Ballet.

Imagem

4 - PORQUE AS INSCRIÇÕES NÃO FICAM SEMPRE ABERTAS?

Esta é uma ótima pergunta.
E a resposta é simples.

O Ballet Homeschooling é mais que uma coleção de conteúdos. É mais que um conjunto de passos e exercícios, é muito mais do que técnicas eficazes agrupadas e organizadas em módulos para ensinar adultos a dançar Ballet.

Para mim, o Ballet é uma comunidade. Uma tribo, um estilo de vida. É uma forma de ser.

Parte da eficácia do Ballet Homeschooling vem do fato de as(os) integrantes interagirem em uma turma. Elas(es) começam juntos, dividem alegrias, tristezas e avanços. Se apoiam mutuamente e progridem juntas(os).

Isso tudo dentro de uma comunidade moderada e fechada, numa área de membros.

À medida que o programa acontece, alguns integrantes se transformam ali na frente uns dos outros. E isso expande a ideia de que é possível para aqueles mais céticos. Muda a cabeça de pessoas que tendem a desistir antes de atingir o ápice das possibilidades para elas(es).

E à medida que as pessoas progridem e os estudos de casos da turma aparecem, fica quase impossível para alguém ignorar que ele também pode ou merece ter os mesmos resultados. E isso gera uma reação em cadeia ali mesmo.

Logo, mais que uma porção de conteúdos, o Ballet Homeschooling funciona tão bem por que seus integrantes são parte de uma tribo, uma comunidade.

E para conseguir esse efeito eu não posso deixar esse programa sempre aberto. Um efeito igual a esse só é atingido quando a turma começa junta e termina junta.

Imagem

5 - BALLET É MUITO DIFÍCIL. SERÁ QUE CONSIGO APRENDER?

Sim. Ballet é uma escola, organizada em método, portanto, seus conteúdos podem ser transmitidos a qualquer pessoa em qualquer época e lugar.

Por acaso você já pensou que aprender a comer direitinho, sem se sujar, nem sujar a mesa em volta foi muito difícil? Levou anos para isso acontecer, não foi mesmo? Hoje acredito que você consegue mesmo de olhos fechados ou no escuro, certo?

Já pensou que andar, pular e correr também levou um bom tempo para aprender?

E falar?

Então, com o Ballet é a mesma coisa. São conexões que precisam ser criadas no seu cérebro, com paciência e dedicação. É só uma questão de tempo. E cada um tem seu tempo. Por isso o Ballet Homeschooling é tão eficiente, por que ele não depende do tempo da turma e sim, única e exclusivamente de cada aluna(o).

Se você ainda tem dúvida sobre isso, eu fortemente indico que leia a pergunta "NUNCA FIZ AULAS DE DANÇA, POSSO FAZER O CURSO ONLINE MESMO ASSIM? SERÁ QUE VALE A PENA? VOU CONSEGUIR APRENDER?"

Imagem

6 - TODO MUNDO QUE FAZ O BALLET HOMESCHOOLING CONSEGUE DANÇAR BALLET?

O que você precisa entender é que o resultado que eu falo aqui, que um adulto normal pode aprender a dançar Ballet partindo do absoluto zero, não é uma situação típica. Por que?
 
Eu acredito que uma pessoa comum que compre qualquer tipo de curso ou um programa de treinamento tende a ter pouco ou quase nada de resultados.
Isso não acontece só com cursos ou programas de treinamentos.

Deixa eu te dar um exemplo.
A maioria das pessoas que se matriculam em uma academia (cara ou barata), tendem a ter pouco resultado. Pois resultado implica muito mais do que ter uma técnica ou metodologia que funcione.

Implica em trabalho duro, histórico pessoal, foco, ética profissional, integridade, persistência (muita persistência).

Resumindo. Os resultados são típicos? Absolutamente não.

São possíveis? Absolutamente sim.

Imagem

7 - NÃO TENHO TEMPO PARA APRENDER BALLET

Uma vez eu assisti no Youtube a uma entrevista do Roger Federer quando ele tinha 18 anos.

Talvez você saiba, talvez não, mas hoje o Federer é considerado por analistas esportivos, críticos de tênis e até por outros jogadores como o maior tenista de todos os tempos.

O cara é um fenômeno. Todos os recordes que você imaginar no tênis foram batidos por ele.

Fica aqui comigo que eu juro que essa história tem uma lição valiosa para qualquer pessoa que tenha um sonho

Como eu estava contando, o Federer é recordista de títulos de Grand Slam, com 20 conquistas. Grand Slam é o termo usado para definir os quatro torneios mais importantes do tênis (Wimbledon, Roland Garros, US Open e Australian Open).

Para você ter uma ideia, se um tenista ganhar um Grand Slam, ele já pode se aposentar feliz, é um feito enorme. Apenas 129 homens na história ganharam um Grand Slam.

O maior tenista brasileiro, Gustavo Kuerten, ganhou 3. Atrás do Federer, quem ganhou mais títulos foi o espanhol Rafael Nadal, com 16.

Imagina ganhar 20. É surreal.

Ele também já ganhou medalha de ouro olímpica, a Copa Davis (espécie de Copa do Mundo do Tênis) e outros 97 títulos como profissional.

E onde você quer chegar com isso?

Eu explico agora.

Quando o Federer começava a despontar para o tênis, aos 18 anos, fizeram uma entrevista para apresentá-lo aos fãs.

Era uma daquelas entrevistas que os jornalistas chamam de pingue-pongue. Uma pergunta simples e curta, com uma resposta igualmente rápida.

Foi aquele festival de perguntas sem noção. O repórter parecia ser meio inexperiente e perguntou a comida preferida, a mulher mais sexy, o melhor tenista…

Daí o repórter fez a pergunta:
"- Você treina muito?" 

Eu pensei na hora: Imagina! É o Federer. Lógico que ele treina muito. Mesmo que ele tivesse só 18 anos. Que atleta vai falar que não treina muito? Ele vai dizer que se esforça todos os dias, que trabalha demais, aquelas coisas que todo atleta fala.

Mas para minha surpresa, o Federer responde: - Não. Eu não treino muito.

Aí que vem o grande insight.

Ele completou:

"- Eu não treino muito, mas quando me disponho a fazer algo, faço com muita intensidade." 

Quem estava dizendo aquilo era um cara de 18 anos. Um cara que viria a se tornar o melhor tenista de todos os tempos.

O Federer não precisava ser o tenista que mais treinava para ter os melhores resultados.

Porque quando ele se dedicava a treinar tênis, ele fazia com mais intensidade do que qualquer outro.

Sabe o que você pode aprender com isso?

Eu sempre ouço várias pessoas dizendo não tenho tempo.

Mas me responda uma coisa.

Você se considera uma pessoa que tem pelo menos vinte minutos livres para investir em algo que é importante para você?

Só vinte minutos por dia.

Se a resposta é sim, continue lendo. Se a resposta é não, então pode parar por aqui, o Ballet Homeschooling não é para você.

Mas por que eu estou te falando isso?

O Ballet Homeschooling é um programa online que você consome no tempo que você tem disponível.

Mas, na minha experiência, muitas pessoas não conseguem direcionar tanto tempo do seu dia a dia para assistir às aulas.

Nesse caso, tudo que você precisa é dedicar 20 minutos do seu dia, todo dia, para o BH.

Quando eu falo 20 minutos eu não falo de maneira figurada. Eu falo de forma literal.

Quando eu falo todo dia, também não falo de maneira figurada.

Quero dizer 7 dias por semana.

O que inclui você reservar 20 minutos do seu sábado e do seu domingo também.

Basta você logar, começar pelo primeiro vídeo, assistir 20 minutos, parar e continuar o seu dia. No dia seguinte, você retoma de onde parou. Assiste a mais 20 minutos, e por aí vai.

No esporte, na arte ou em qualquer coisa que você faça na sua vida.

Mais importante que a velocidade que você está progredindo é a direção para onde você está progredindo.

Fazer um pouquinho todos os dias com muita concentração dá muito mais resultado do que não fazer nada pelos próximos meses.

E se você quiser encontrar mais do que 20 minutos livres para investir no BH, vou te dar algumas sugestões abaixo:

Considere acordar 20 minutos mais cedo. E se você é uma daquelas pessoas que não acorda cedo, considere dormir 20 minutos mais tarde.

Considere ficar 20 minutos a menos na frente da televisão.

Considere passar 20 minutos a menos na Netflix. Talvez assistir somente a um episódio daquela série que você está ficando viciada(o).

Considere passar 20 minutos a menos nos grupos de WhatsApp, perfis do Instagram e Facebook que não te agregam em nada.

Considere executar os vídeos do BH enquanto faz o jantar porque sinceramente quem quer dar um jeito e persiste quem não quer dá uma desculpa e desisti.

Imagem

8 - PORQUE O BALLET HOMESCHOOLING NÃO OFERECE BOLSA DE ESTUDOS?

Vou te contar uma coisa que talvez você não saiba sobre mim. Algo que eu acho importante que você saiba.

Depois que meu pai se foi deste mundo, muitas coisas aconteceram, de uma forma acelerada. Comecei a perceber que a cada década, a vida me levava para uma direção bem diferente, mas eu só entendi isto depois que ele morreu, antes eu simplesmente não percebia que isto acontecia. Já faz uns 5 anos que precisei fechar minha escola de dança para dar mais atenção à loja, ao atelier e à minha família e por mais legal que isso possa ser, eu realmente gosto, e por mais atraentes que seja a remuneração a verdade é que eu percebi que não estava sendo  muito feliz. Comecei a ficar doente, doente mesmo, a ponto de não querer acordar de manhã. Comecei a reduzir drasticamente minha carga horária de trabalho e a procurar cursos. Procurar respostas.

Daí veio a pandemia e estranhamente eu me senti aliviada. 

Foi a minha resposta. E a resposta foi a inevitabilidade da morte, inevitabilidade o fato de ser inevitável. Essa é a mais pura verdade.

O fato de que todos nós seres humanos fomos convidados a superar grandes desafios. Não importando se somos jovens, adultos, velhos ou criancinha, invariavelmente todos, no mundo todo, de uma hora para outra ficamos ameaçados de não viver. Um ser invisível, tão pequeno, tão insignificante, mas não desprezível. E ele ganhou o imenso poder de nos matar.

A ficha caiu.

Minha visão do mundo mudou. Lembrar todos os dias que qualquer um, eu ou alguém da minha própria família poderia morrer, no dia seguinte, foi a ferramenta mais importante e poderosa que encontrei para me ajudar a tomar uma grande decisão. Porque quase tudo: expectativas externas, medo, raiva, tudo cai diante da morte deixando apenas o que é importante. Então não há razão para não seguir o que seu coração lhe diz. 

Não se trata de lembrar que você vai morrer um dia, mas sim, que isto pode acontecer agora mesmo. Lembrar que existe a possibilidade de morrer, é a melhor maneira para evitar a armadilha de pensar que você tem algo a perder. Que há tempo. O tempo é uma ilusão, ninguém tem controle sobre ele. Ele nos controla como marionetes. Então, mais uma vez, não há razão para não seguir seu coração. Mesmo sabendo que se está saudável. O tempo nos controla, e não sabemos o daqui a pouco.

Naquele dia eu fiquei presente que um dia todos iremos partir desse mundo. Ninguém jamais conseguiu evitar isso por completo. Ninguém. Naquele dia eu falei comigo mesma sobre meus sonhos.

E eu me lembrei da minha infância e adolescência.

Lembro como se fosse hoje:

Eu usava um vestido vermelho de bolinhas brancas bem miúdas. Tinha a sainha godê com 2 babados e manguinhas bufante adornadas por fitas finas azul marinho e branca. Tinha 3 anos de idade. Morávamos num apartamento, no Centro da cidade e estávamos no quarto, minha mãe e eu, e ela me fez a célebre pergunta:
"- O que você quer ser quando crescer?"
Eu sai rodopiando e respondi:
"- Bailarina"
Minha mãe riu e perguntou:
"- E você sabe o que é uma bailarina?" Você nunca viu uma.

Bem o resto da história você já deve imaginar... fui bailarina mesmo.

Sempre me senti mais velha do que era de fato, acho que isso se deve ao fato de ter tido uma infância muito solitária e ter tido que resolver minhas dúvidas, medos e conflitos sozinha. Meus pais trabalhavam o dia inteiro e sou filha única. 

Um dia, já na adolescência, lembro de estar numa grande academia de dança, esperando no corredor, do lado de fora da sala, minha aula começar. Era no segundo andar e este corredor era uma espécie de varanda que dava visão para os outros andares e salas da escola, e para o pátio do térreo onde havia uma cantina grande, a secretaria e outras salas de aula.
Lembro claramente de olhar lá para baixo, ver tanta gente e ficar presente para o fato de que eu seria bailarina a vida toda, mas que contrariamente, não dançaria para sempre e ai me vi ensinando outras pessoas. Foi uma visão magnífica. Foi mágico! Eu encontrei minha missão de vida.

Muitos anos se passaram, fiz muitas coisas, me meti em várias profissões. Desde dançar, ser atriz, modelo, fazer artesanato, construir web sites, passando por um tempo curto como administradora dentro da Petrobras, e quando finalmente realizei o sonho de abrir meu próprio studio de dança, e finalmente achei que duraria para o resto da vida... acabei tendo que fechá-lo após 15 anos, para costurar, bordar e vender sapatilhas. Nada de errado com isso, na verdade gosto muito de minhas clientes, de verdade, sou uma pessoa afetuosa e sempre estou disposta a ajudar alguém a realizar um sonho. Mas definitivamente esta não é minha missão.

E é isso que me move. Acredito que a educação e a arte são as únicas coisas que me fazem feliz de verdade. Acho que é por isso que dizem: "- A arte salva"

E é por isso que eu preciso voltar, porque esta é mesmo a minha missão de vida.

Agora uma pergunta que algumas pessoas podem estar se fazendo, se tenho vocação de educadora e minha missão é ensinar Ballet, então porque não dou este conteúdo de graça? Porque não ofereço bolsas? 

É uma ótima pergunta e a resposta é simples, o BH é mais que uma coleção de conteúdos, é mais que uma coleção de estratégias de ensino, é mais que uma coleção de técnicas eficazes para ensinar Ballet. O BH é uma comunidade, uma tribo. E parte da eficácia desse programa vem do fato dos integrantes interagirem como se fosse uma turma, eles começam juntas(os), dividem alegrias e tristezas. Dão saltos juntos. Seguram nas mãos uns dos outros e progridem juntos e isso tudo dentro de uma comunidade virtual. A medida que o programa acontece, alguns integrantes se transformam ali na frente uns dos outros e isso expande o que é possível para aqueles mais céticos que tendem a desistir antes de atingirem o máximo do que podem realizar. À medida que as pessoas progridem e os estudos de casos da turma aparecem fica quase impossível ignorar que ela(e) também pode ou merece. Isso gera uma reação em cadeia ali mesmo. Logo, mais que uma coleção de conteúdos. O Ballet Homeschooling funciona tão bem porque seus integrantes são parte de uma tribo. E para conseguir isso, eu não posso deixar esse programa sempre aberto. Esse efeito só é atingido quando a turma começa junta e termina junta.

E porque existe um investimento para fazer parte dessa turma? 
Por que a minha missão é grande, mas eu sei que para correr essa maratona eu preciso dar um passo de cada vez, no meu mundo é isso que significa transformação, uma turma de cada vez e eu utilizo a taxa de inscrição para separar aqueles que realmente estão comprometidos em embarcar nessa transformação daqueles que estão só tentando.

Eu sei que não é um método perfeito pois eu também sei que tem gente que realmente quer participar e não vai porque não pode ou não tem esse dinheiro para investir no momento. E para essas pessoas eu sugiro que não fiquem chateadas ou de baixo astral. Muitas das pessoas bem sucedidas que eu vejo, vêm da persistência e da capacidade de conseguir arrecadar recursos para atingirem os seus sonhos e se esse for o seu caso considere esse com seu primeiro desafio. É apenas um desafio momentâneo. A primeira barreira que você precisa ultrapassar. É vencer isso para se qualificar.

Eu acredito que você vai crescer muito somente nesse processo e por isso que não abro mão, não faço concessões. Sem desconto, pois por mais que me doa no coração, o fato de dar um desconto seria roubar dessa pessoa vencedora a capacidade de gerar essa pequena vitória para si própria, e eu não acredito ter o direito de tirar a possibilidade de conseguir essa vitória para si.

E por fim se você estiver interessada(o) em participar desta incrível jornada comigo, as inscrições estão muito próximas de serem abertas. Então faça acontecer.

Imagem

9 - O QUE É O BALLET HOMESCHOOLING? É ONLINE OU PRESENCIAL?

O Ballet Homeschooling é um treinamento 100% online, que você pode fazer de qualquer lugar que tenha uma conexão de internet.

Ele é pensado para quem tem um simples objetivo: aprender a dançar Ballet Clássico. Eu já falo isto há algum tempo, mas não custa nada repetir. Até porque parece difícil de acreditar de primeira.

Ballet é para todo mundo.

Então você pensa: - ah isso é enganação, é mentira. Parece muito bom para ser verdade! Se você pensou isso, eu não tiro a sua razão. Existem muitos oportunistas na internet hoje em dia e você nunca viu ninguém falar em dançar pelo computador.

A primeira vez que eu falei isso para alguém, que eu iria ensinar Ballet pela internet, a pessoa ficou me olhando como se eu fosse um E.T.

Foi igual quando, na década de 90, eu falei para um diretor de TV que eu poderia fazer um site para ele na internet. É sério, ele nem sabia o que era site.

Isso acontece porque parece ser uma promessa BOA DEMAIS para ser verdade.

E eu dou toda razão. Ballet é uma coisa muito tradicional, ali de sala de aula, professor aluno, aluno professor. É assim que a coisa acontece há séculos.
Se eu não tivesse a quantidade de anos que tenho, ensinando pessoas a dançar Ballet e levando elas do zero às pontas, eu também duvidaria.

Se eu não tivesse ajudado centenas de crianças, jovens, adultos e até idosos, eu também não acreditaria.

Mas antes de eu continuar isso, eu preciso deixar uma coisa muito clara.
Por favor, entenda que os resultados que eu falo aqui não são típicos. Por que?

Eu acredito que uma pessoa comum que compre qualquer tipo de curso ou um programa de treinamento tende a ter pouco ou quase nada de resultados. Isso não acontece só com cursos ou programas de treinamentos.

Deixa eu te dar um exemplo.

A maioria das pessoas que se matriculam em uma academia (cara ou barata), tendem a ter pouco resultado. Pois resultado implica muito mais do que ter uma técnica ou metodologia que funcione. Implica em trabalho duro, histórico pessoal, experiência, foco, ética profissional, integridade, persistência (muita persistência).

Resumindo, os resultados que eu mencionei e ainda vou mencionar neste texto são típicos? Absolutamente não. São possíveis? Absolutamente sim.

Agora, eu gostaria de deixar claro que tudo envolve riscos, bem como muito esforço e principalmente ação. Se você não está disposta(o) a aceitar isso, por favor, não faça a sua inscrição na SEMANA DO BALLET ONLINE ou mesmo no BALLET HOMESCHOOLING.

Dito isto, então para quem é o BALLET HOMESCHOOLING?

É para indivíduos que têm o objetivo real de aprender a dançar o Ballet de verdade como ele é.

Qualquer aspirante? Não, é só para aqueles que querem aprender o passo a passo detalhado, o por quê e como as coisas acontecem no Ballet.

E aqui eu preciso distinguir uma coisa. Todo mundo quer dançar o Ballet. Até quem não tem coragem de admitir em voz alta, quer.

O carnaval deste ano me mostrou isso. Era só sair à rua e ver a quantidade de gente fantasiada de bailarina. Tinha bebê, criança, vovozinha, homem, rapaz, pai, mãe.... na rua, no metrô, no ônibus, na calçada, sóbrio ou bêbado... o fato é que centenas, talvez milhares de pessoas externaram sua vontade de ser bailarina, se fantasiando de bailarina.

Existem tantas possibilidades, no carnaval tudo é permitido, mas não... todo mundo queria SER bailarina. O problema é que nem todo mundo quer aprender. Isso não é só com o Ballet. Pensa bem. Todo mundo quer falar inglês fluente. Mas nem todo mundo quer fazer o necessário para aprender a falar inglês fluente. 

E aqui eu vou falar uma coisa polêmica. É uma coisa que eu posso até estar errada. Mas se você me permitir, eu vou falar. Eu acredito que todo mundo quer ter um corpo saudável. Quiçá, um corpo bonito (o que quer que seja bonito para você). Mas nem todo mundo quer fazer o necessário para ter esse corpo. E está tudo bem. Eu acredito que cada um deve ter liberdade para fazer suas escolhas e ter suas prioridades.

Eu só gostaria de deixar claro que o BH não é um programa para quem quer ser bailarina. Esse é um programa para quem quer aprender a fazer o necessário para chegar a bailarina.

E entre eu e você, isso vai dar trabalho. Então se você sofre de preguiça e não acredita em trabalho duro, o BH não é para você. Só para deixar claro mais uma coisa.

O BALLET HOMESCHOOLING é para mim que não sou mais criança, não tenho ritmo, sou discordenada e nunca dancei antes na vidas e não tenho nem ideia de por onde começar? Essa é uma pergunta comum de aspirantes. A resposta é sim. É sim absolutamente.

Agora você pode estar se perguntando: para quem o BH não é?

O BALLET HOMESCHOOLING não é feito para quem quer resultados medianos. O BH faz você entender que DANÇAR BALLET está ao seu alcance agora. Deixa eu te contar um fato que explica essa situação.

Um carro de Fórmula 1 foi projetado para andar a 350 km/h. Imagina a engenharia e o conhecimento que você tem que ter para fabricar uma máquina que anda em cima de quatro rodas quase na metade da velocidade de muitos aviões. O Fórmula 1 é preparado nos mínimos detalhes para voar no asfalto. Cada parafuso, o material do chassi, cada centímetro a mais ou a menos em um carro desses foi pensado para que ele possa atingir a maior velocidade final. É um carro feito para andar rápido. E não vale a pena fazer investimento em um carro desse se você quer andar a 80 km/h. É um desperdício. Se você quer andar devagar, não vale a pena investir para saber o que há de melhor na indústria automobilística. Basta um carro 1.0. E o BALLET HOMESCHOOLING é o Fórmula 1 do ensino/aprendizado do Ballet. Ele é para quem quer ter um alto nível de resultados.

Então se você só quiser vestir um tutu e sair rodopiando por ai dizendo que é bailarina, usar o BH é igual a tentar matar uma mosca com um tiro de canhão. Outra coisa que é importante falar: o BALLET HOMESCHOOLING não é nenhuma proposta relacionada a exercícios fitness, musculação, abdominal, "Pilates", fisioterapia, bolas, elásticos, aparelhos e acessórios externos e coisas mirabolantes do tipo. O design do BH foi projetado para se auto resolver com as bases do próprio Ballet.

Mas antes de eu te explicar exatamente como funciona o BH, é importante que você entenda como eu cheguei nesse programa 

Meus pais tinham muito medo que eu passasse pelas mesmas dificuldades que eles passaram.

Meu avô era pernambucano, ingressou na marinha para fugir da pobreza do nordeste brasileiro, morreu quando meu pai era bem pequeno, e deixou minha avó cuidando de quatro filhos homens. Meu outro avô era agricultor e teve 13 filhos. Se você sabe o custo de criar um filho, agora multiplica isso por treze. Considerando que era uma família de agricultores. Não sei se chegaram a passar fome, mas imagino que a coisa deveria ser bem tensa.

A minha mãe saiu de casa bem cedo, criança ainda e foi morar de favor na casa de uma irmã mais velha. Queria estudar na cidade grande, pois tinha horror à vida de roça.

Por que eu estou te contando isso? Para você entender que o pensamento dos meus pais era investir até o último centavo para garantir uma boa educação para mim, eles queriam que eu fosse médica ou dentista e fizesse um concurso para me tornar funcionária pública e ter um emprego estável como o da minha mãe. Garantir um futuro que me deixasse “amarrar o burro na sombra”, como dizia o meu pai.

E daí eu fiz o que eles queriam, estudei muito, muito mesmo. O problema era que na minha cabeça ser funcionária pública era ser bailarina do Theatro Municipal. E quando falei que queria fazer faculdade de dança em Salvador, a única que existia na época no Brasil, é claro que foi um drama total, quase uma tragédia. Também não estavam havendo concursos públicos naquela época e eu achava que estava ficando velha e que nunca ia realizar meu sonho de bailarina.

Então decidi fazer Educação Física, que era o mais próximo para quem dançava, foi outro drama. Meus pais queriam que eu fosse médica e fizesse concurso público, eu era um completo desgosto e decepção para eles.

Comecei a duvidar de mim mesma, lá pelo meio da Educação Física deu um ruim e acabei mudando o caminho para a faculdade de Administração. No dia em que disse que não ia ao Ballet, meu pai perguntou se eu estava doente e minha mãe cantou o dia inteiro.

Só que tinha um problema. Uma única coisa que só eu sabia. Eu era extremamente infeliz. Infeliz porque aquele não era o meu sonho. Eu estava vivendo a vida que meus pais queriam que eu vivesse. Tudo isso que eu fiz era para honrar o que minha mãe e meu pai fizeram por mim.

Acabei me casando para continuar dançando. Fiquei com as companhias amadoras da época e fazendo muitas aulas também para não perder a forma e condicionamento físico, esperando o tal concurso público. O concurso público chegou e ninguém passou. Depois de um tempo me chamaram para estagiar e ensaiar com a companhia do Theatro, mas também deu um ruim pelo meio do caminho, coisa de política e acabei saindo.

Não me entenda errado. Eu não quero criticá-los e também não culpo meus pais, de jeito nenhum. Tudo que eu tenho hoje é por causa da visão e esforço dos meus pais. Eles deixavam de viajar, de passear, de comprar coisas para investir na minha educação. Eles abriram mão de muitas coisas para que eu estudasse nas melhores escolas. Só que eu não era feliz.

Não sei se você já passou pela experiência de não gostar da vida que vive. Mas é muito ruim a sensação de acordar e não querer nem levantar da cama, de jeito nenhum. Tinha épocas que eu tinha febre do nada. Sentia dores, do nada. Vomitava e chorava, do nada.

Não era aquilo que eu queria fazer pro resto da minha vida. Minha paixão não era ficar na frente de um computador e ouvir os colegas falando que quando se aposentassem iam viajar, iam ter uma casa na praia, iam isso e aquilo. Não era uma questão de dinheiro ou de status. Era uma questão de realização. E eu não tinha nenhuma realização naquele momento. No auge da minha crise, eu resolvi fazer um curso de teatro. E lá eu enxerguei que não tinha tido a minha própria vida até aquele momento, que minha infância praticamente não existiu e minha adolescência tinha sido quase a mesma porcaria. A ficha caiu porque eu não queria me tornar o meu chefe. Nem que aquilo me desse muito dinheiro. Eu não queria passar os próximos anos  fazendo um trabalho legal, mas que não era o que eu amava, para me tornar quem eu não queria me tornar. Eu só pensava que dali uns anos eu ia ficar velha ou podia até mesmo morrer e eu não teria feito o que eu queria de verdade.

Naquele dia eu entendi que eu devia seguir o meu coração.

Meu sonho de criança sempre foi dançar e quando não pudesse mais dançar, seria ensinar outras pessoas a dançar. E sei exatamente quando decidi isso, eu tinha 3 anos de idade. Mas isso era um daqueles sonhos que ficaram engavetados.

Aí eu fui tentar a carreira de atriz. E deu certo, pelo menos por uma década. Trabalhava no teatro, dançava e cantava nos musicais, participei de algumas novelas, fiz muitos comerciais de TV e cinema, até para fora do país. Era bem legal, pagavam bem e as pessoas até me reconheciam na rua. Foi aí que a coisa começou a ficar esquisita e a me incomodar. Já não podia receber a pizza em casa sem ser reconhecida, ir ao mercado ou à padaria sem ser abordada por desconhecidos. O ruim disso é que indo para a televisão isso só ia piorar. Percebi que não tinha mais liberdade, que estava tendo que continuar aquela antiga vidinha de viver de uma imagem do que as pessoas achavam que eu era ou deveria fazer e não quem realmente eu era ou amava fazer.

Eu estava vivendo de novo uma bagunça mental e emocional, atendendo às expectativas dos outros e não as minhas próprias. E aquilo só estava me deixando muito confusa e deprimida. Para dar um basta nisso, resolvi investir alto, comecei a procurar um espaço para abrir minha própria escola de dança e voltei a estudar, fui fazer uma nova faculdade, a licenciatura em dança que tanto sonhei. Foi um grande momento de virada da minha vida. Nada seria mais como antes nem eu seria mais a mesma dali pra frente. Agora eu era livre para fazer minhas próprias investigações e criar métodos. Eu tinha o laboratório perfeito: sala de aula, alunas e ferramentas adquiridas na faculdade.

Quando deixei a "Petrobrás" não foi por dinheiro. Logo, o que mais me interessava não era dinheiro. Eu só queria fazer um negócio que fizesse a minha alma vibrar de felicidade. E cada aluna que passava por meu trabalho, eu ia vendo os resultados que elas tinham. Eu passei a ficar viciada nas histórias que elas me contavam. Quando você encontra essas pessoas anos depois, as vezes crianças que cresceram ou adultos que ficaram mais velhos, e pergunta para elas como eram as aulas, descobre o real impacto que causou na vida delas, a transformação, e isso não tem preço. Não tem dinheiro que pague. Reencontrar uma aluna e ver os olhos dela se encherem d'água e dizer “muito obrigada, você não sabe o quanto você mudou a minha vida".

Em 2015 o meu pai se foi deste mundo e eu entrei em crise de novo, a tal crise da meia idade e acabei ficando muito triste, de verdade. Não só pela perda dele, mas também por que me vi incapaz de administrar tantas coisas e pessoas ao mesmo tempo e ainda ter que lidar com meus próprios sentimentos ruins. Decidi dar um tempo e fechar minha escola, com muita dor, já que sempre foi meu sonho, mas também não podia continuar com tanta tristeza, não era o melhor de mim para passar às minhas alunas. Procurei me reinventar nestes anos, fiz mais outra faculdade e pós graduação, me atolei de trabalho na criação dos figurinos, da loja e do atelier, meio que para esquecer de toda a dor da perda. E daí veio a Pandemia. Então pensei, tá na hora. Este é o momento de voltar, talvez minha última chance na vida. Por isto dei este nome de Ballet Homeschooling.

E como funciona o Ballet Homeschooling?

O Ballet Homeschooling começa online. Por que? Para que você possa fazer de qualquer lugar que tiver internet, de acordo com o seu tempo. Além disso, algumas pessoas são mais rápidas para aprender, outras mais lentas. Por isto que ensinar o Ballet da forma como eu o vejo e principalmente como o sinto, uma arte tão profunda e transformadora, que lapida o diamante bruto que existe dentro de cada um, presencialmente, dentro de uma sala cheia de alunos, pessoas tão diferentes umas das outras não é o ideal.

É um estudo quase que particular, cada um tem seu tempo. Tem gente que não dorme quando quer aprender alguma coisa e fica estudando e repetindo muitas vezes, já outras, preferem fazer 20 ou 30 minutos por dia. Não tem nada de errado nisso. É fazer no seu tempo. Ele também começa com uma turma. As pessoas começam juntas no método. Porque eu percebi que se você simplesmente der essa informação para a pessoa começar sozinha, as chances de sucesso são menores. A gente tem mais resultado quando está numa comunidade. Quem quer ir longe, vai acompanhado.

Quando você entra no Ballet Homeschooling, você entra numa comunidade onde a gente divide conhecimento e experiências.

Mas você pode ainda estar se perguntando: Mas o que eu vou aprender no Ballet Homeschooling? Tudo começa com um ponto chave, o ingrediente principal de toda construção: a base. Mas não é qualquer base, de meia dúzia de passinhos básicos. É uma base sólida. A única capaz de te levar até as sapatilhas de ponta. Eu vou te ensinar exatamente como fazer isso, passo a passo, tim tim por tim tim, mesmo que você esteja começando do absoluto zero.

Se você já tem algum conhecimento, vou te pedir um pouco de paciência aqui, porque a próxima parte vai ser interessante para você.

Mas voltando ao assunto...

Para começar, você vai aprender que existem duas maneiras diferentes de construir sua base.

Atenção: é igual a uma sementinha, que quando brota, vai crescendo, e você vai regando, regando e se transformando em uma árvore grande, que rende muitos frutos. E isso é só o começo, como foi o caso da Luíza Figueiredo

A Luíza foi uma das minhas alunas. Quando ela começou, nem era criança mais, tinha zero conhecimento prévio. E em menos de 2 anos já estava pronta para colocar as pontas. E ela começou do zero. Assim como você pode começar.

Ainda não acredita? Eu vou te dar mais um exemplo. Quando a Nathalia veio fazer Ballet comigo, ela também tinha zero conhecimento de Ballet, era uma moça, fazendo faculdade e até hoje quando encontro com a mãe dela na rua, ela me agradece por que nunca viu sua filha tão alegre e feliz na vida quanto quando fazia Ballet comigo. Ela também começou do zero.

Mas entenda que algumas pessoas têm mais resultado, outras têm menos. Algumas pessoas não têm nenhum resultado. Porque o Ballet Homeschooling precisa ser aplicado para gerar resultado. Porque ele não é nenhuma fórmula mágica. Eu avisei logo no início, preto no branco. Mas não custa avisar aqui de novo.

Mas Angélica, e se eu sou toda desajeitada, sou dura, não tenho ritmo, mal sei qual é o lado direito, qual é o esquerdo?

Nós já conversamos aqui que essa preocupação não é um problema. Eu tenho até um vídeo que fala sobre isso. E afinal quando comecei meu studio de dança, achei que ia receber um monte de criancinhas e que eu ia formar todas elas bailarinas profissionais. E na verdade, apareceram mais foram adultos. Apareceram crianças também, mas o foco era outro, ninguém queria ser profissional. Então meio que fui uma espécie de pioneira no ensino de Ballet para adultos. E acredite, aprendi muito mais sobre o Ballet e como ensiná-lo do que se estivesse com a escola lotada só de crianças.

Mas se você tem essa dúvida, eu acho ótimo.

A questão é que você passa a enxergar oportunidades que estavam fora do seu radar. Tomar novos caminhos e começar novas maneiras de ensinar. Eu vejo isso em toda turma.

Mas eu não vendo conto de fadas. Eu jogo limpo sobre como o Ballet Homeschooling funciona. Por isso o que eu vou dizer agora pode frustrar a sua expectativa ou manter os seus pés no chão.

Uma academia enorme, cheia de alunos não serve para nada. A não ser que aquelas pessoas, participem, se engajem e façam o que você está pedindo para elas fazerem. E eu não conheço nada que crie um relacionamento mais rápido, profundo e forte que um aluno que enxerga a professora como uma parceira. Pois afinal, a nós professores, só interessa uma coisa: o sucesso do aluno. Por isso que dentro do Ballet Homeschooling você aprende a construir sua base do zero. É ela que vai te levar às pontas.

Mas será que é tão simples assim? Claro que não, você vai precisar colocar os meus ensinamentos no seu corpo, entender os princípios no seu próprio corpo.

Para deixar o seu caminho mais tranquilo, eu vou te entregar o meu programa pessoal de aulas. Aulas que fizeram alunas que faziam Ballet há 8 anos com outros professores, sem nunca terem atingido a preparação necessária para colocar as pontas, e em 1 ano comigo, isso aconteceu naturalmente, por mera conquista das próprias alunas seguindo o meu método. Ou de alunas que queriam ingressar na escola de dança oficial do Theatro Municipal, mas mal se aguentavam de dor, e ao final de 2 semanas comigo já não sentiam nenhuma dor nos joelhos ou qualquer outra parte do corpo.

São modelos que você pode seguir. Seus pontos cegos vão ser preenchidos por modelos testados no campo de batalha. E pode ser surreal falar algumas coisas que eu estou te falando aqui. Porque é normal. Depois de ultrapassar cada marco de evolução, você passa a enxergar o Ballet de uma maneira que só faz sentido para quem já ultrapassou conscientemente estes marcos.

E isto gera uma série de benefícios que vão muito além do exercício. E eu falo bastante em chegar às pontas. Mas isso não é tudo. Existem outros benefícios que o Ballet traz que você pode aproveitar. Porque se você não evoluir, o Ballet pode se tornar um vício. Tudo bem que é um vício bem saudável. Mas você vai ter que acabar repetindo, não só para chegar às pontas, mas para permanecer nelas. Porque o real benefício do Ballet Homeschooling é estabelecer um estilo de vida. E isso está no DNA de cada detalhe desse processo que eu vou te ensinar.

Cada atitude impacta o próximo nível. O extraordinário não é o que os outros fazem. Extraordinário é o que se torna além das capacidades que você esperava ter. Então o negócio é o seguinte, é como fazer uma lasanha, não adianta ter a água e colocar a massa para cozinhar, tem que ter comprado o queijo, ter feito o molho e a carne antes para montar tudo e assar. Caso contrário não funciona. E cada vez que você repete, você aprende mais e ela sai melhor e mais saborosa. Você acrescenta um temperinho aqui, um tempinho a mais ali, a quantidade e consistência do molho. Eu sei que isso pode parecer um pouco complexo. Mas tem algumas coisas que você só consegue enxergar depois que começa a fazer o Ballet.

Se você quiser colocar a Ballet Homeschooling para trabalhar no seu corpo, eu terei o maior prazer em te falar como você pode se inscrever no programa.

Mas em primeiro lugar, deixa eu te contar umas regras fundamentais do programa.

Regras fundamentais do Ballet Homeschooling

Primeiro: por ser um treinamento online, as inscrições ficam abertas por um pequeno espaço de tempo e as vagas são limitadas.

Eu sei que você ouve esse negócio de vagas limitadas o tempo todo, mas isso é realmente sério.

Porque é o seguinte. Se não tivesse limite de vagas, eu não ia me importar em ter gente se inscrevendo e não fazendo nada. Mas eu não quero ver gente desperdiçando o lugar quando outra pessoa poderia ter aproveitado aquela vaga para causar algo de poderoso na sua própria vida e até impactar a vida de outras pessoas.

Você tem que estar comprometida(o) com o seu sucesso. Se você conseguir se inscrever no Ballet Homeschooling, vai receber:

O programa de treinamento online em 5 módulos. Eu dividi em 5 partes para você aprender desde o início os fundamentos que vão proporcionar o entendimento do Ballet e a construção das bases sólidas para evoluir e crescer nesta arte. A gente vai passar pelas sessões a cada 15 dias. Mas se você não conseguir acompanhar este ritmo, não tem problema. Este programa fica no ar por 2 anos. Para você assistir no seu próprio tempo, com a sua velocidade.

Eu também vou disponibilizar toda a parte teórica, como: um pouco da história do Ballet, o Ballet no Brasil e no mundo, a terminologia falada e escrita para que possamos nos comunicar com uma linguagem em comum em qualquer parte do planeta. Além de exercícios e sequências práticas. Muita prática, principalmente, pois como você deve saber, o Ballet é uma arte performática, de execução prática. Além disso, você vai aprender a se auto corrigir através de exercícios de consciência corporal. Nas aulas ao vivo, eu vou te ajudar a enxergar os possíveis desvios de rota e a não ter pontos cegos. Isto é de extrema importância para que você não adquira vícios de execução, nem caia em zonas de conforto prejudiciais à evolução. O importante é que vai sair com o seu plano de aulas para trabalhar o Ballet no seu corpo, internalizando sua técnica e arte secular.

Ah, quase ia me esquecendo... você não precisa se preocupar com o espaço, por que eu também vou te ensinar como preparar tudo.

Mesmo que você nunca tenha dançado antes. Eu sei que eu já falei isso, mas se você chegou até aqui, pode ter passado muito rapidamente por aquela parte. Então, não custa nada reforçar agora de novo:

[Vale a pena fazer o Ballet Homeschooling mesmo sem ter tido nenhuma experiência prévia com dança?]

O importante é saber que você terá cada passo explicado, tim tim por tim tim. Tudo detalhado para você. E mesmo assim se ficar alguma dúvida, eu ou alguém da minha equipe vai tirar a sua dúvida. Agora que você já sabe o que vai aprender, deve estar se perguntando:

Quanto custa o Ballet Fundamental? Quais as formas de pagamento?

O custo do Ballet Fundamental é zero. Aqui eu vou dizer exatamente o que eu quero dizer com isso. O Ballet Fundamental não é um custo. Na minha opinião, o BH é um investimento. Deixa eu te explicar porque eu acho que é praticamente impossível você sair perdendo com esse investimento.

Primeiro você tem que estar disposta(o) a investir:

R$ 1.997,00 à vista por transferência bancária ou no cartão de crédito ou parcelado em 12 vezes no cartão de crédito


Daí você vai dizer: "-Ah mas é caro!"

Então você não está comprometida(o) de fato com você e com seu sonho e desenvolvimento pessoal.

Lembre-se que este valor corresponde a 24 meses de aulas disponíveis 24h por dia para você aproveitar onde, quando e o quanto quiser. São dois (2) anos inteirinhos. Isto corresponde a menos de R$ 3,00 por dia para ter aulas comigo, suporte durante um ano e mais um ano de acesso a todo o material que disponibilizo para estudar e praticar, além de uma enxurrada de conteúdos gratuitos vitalícios para consultar, aprender, tirar dúvidas e ter insights. E olha que não é pouco, são 47 anos, só de Ballet. É muito conteúdo e experiência para passar.

Este valor, no momento, cobre meu tempo para organizar toda esta oferta para você, e me garante que só pessoas realmente, de fato, sérias e comprometidas vão entrar no programa.

Desse investimento existem dois possíveis cenários:

Primeiro cenário: você pega a técnica que eu ensino no BH, aplica exatamente do mesmo jeito que eu falei.

Nesse caso você pode precisar de algum instrumento especial para medir o tamanho da felicidade ao sentir os resultados no seu próprio corpo ou até nos resultados que isso pode trazer para seus amigos e familiares, pois com certeza eles sentirão as mudanças no seu humor e até na sua vibração e energia.

É o caso da Luisa Figueiredo que tinha muito medo de fazer piruetas e não conseguia ficar nas pontas, da Nathalia, da Sra. Therezinha que começou o Ballet comigo quando já tinha 75 anos de idade, da Cláudia, das gêmeas Claudia e Carla, da Sophia, da Tereza, da Rosângela, da Andréa ou da Magali e de tantas outras alunas que faziam aulas no meu Studio.

Quando elas entraram para aprender Ballet, não sabiam nada, zero, nem se quer tinham dançado na infância ou no colégio e conseguiram.

Segundo cenário: você não faz nada, acaba se distraindo, ou simplesmente decide que esse material não foi feito para você.

Nesse caso, basta você tirar proveito da minha garantia incondicional de 30 dias.

É só você mandar um e-mail nos primeiros 30 dias que você se inscreveu no Ballet Homeschooling. Dizendo que você quer receber seu dinheiro de volta.

A gente devolve cada centavo do seu dinheiro que foi investido na matrícula do Ballet Homeschooling.

Sem ressentimento, sem letra miúda.

E a gente ainda pode continuar amigas(os).

É simples assim, preto no branco.

Eu não sei você, mas eu adoraria achar outros investimentos assim. Porque você tem 30 dias para ver se esse programa é ideal para você.

Se não for, basta nos primeiros 30 dias enviar um e-mail que eu vou devolver cada centavo do seu dinheiro investido no BH. 

É você quem julga. Por isto este curso é só para adultos a partir dos 18 anos. Por que só entra quem realmente quer aprender Ballet por sua vontade própria, sem que a mãe, avó ou qualquer outra pessoa esteja obrigando.

É como se o Ballet Homeschooling fosse um bilhete de loteria.

Só que, ao contrário de um bilhete comum, esse bilhete te oferece a possibilidade de reembolso do valor total pago nele caso ele não seja o bilhete premiado.

Você compraria esse bilhete?

Você investiria seu dinheiro nele tendo a certeza que, se ele não fosse o bilhete premiado, você pudesse ir na lotérica pedir o ressarcimento desse bilhete de volta?

O Ballet Homeschooling é como se fosse esse bilhete premiado.

Eu já disse isso, mas não custa repetir.

Não quer dizer que é uma fórmula mágica.

Isso quer dizer que o resultado vem da dedicação, do esforço e da energia que cada aluna(o) investiu para colocar o Ballet em ação.

Mas se dentro dos 30 primeiros dias você achar que o BH não é um bilhete premiado que pode retornar o seu investimento em várias vezes, basta você me mandar um e-mail pedindo o cancelamento, que eu envio o seu dinheiro de volta.

Acho que na vida vai ser difícil você encontrar um acordo desses. Já pensou nas escolas físicas, por exemplo, se você descobrir que o Ballet não é para você depois de trinta dias, já era, perdeu a matrícula e a primeira mensalidade, no mínimo. Se o plano for semestral ou anual, o que é mais comum.... Aqui você paga apenas uma vez e terá 2 anos, 730 dias para usufruir e aprender o Ballet desde o início, de suas bases. E uma vez aprendido, nunca mais se esquece.

Então, isto é assumir o risco como sendo todo meu. E por que eu estou assumindo esse risco? Porque o Ballet Homeschooling funciona.

Porque eu já vi funcionar com os meus próprios olhos, no meu próprio corpo.

E porque eu quero ver ele funcionar no seu também, por que como já disse antes, sou viciada em ouvir as histórias das minhas ex-alunas.

E tem só uma última coisa que eu preciso falar com você.

Se você ficou interessada(o) em participar, isso nos leva à próxima pergunta:

Como eu posso me inscrever no Ballet Homeschooling?

As matrículas para o Ballet Homeschooling não estão abertas o tempo inteiro. Na verdade, as turmas abrem em poucos momentos do ano.

Se você quiser saber o por que isso acontece, leia o a pergunta [Por que você abre e fecha as inscrições do Ballet Homeschooling?]

Geralmente, antes de abrir as matrículas do Ballet Homeschooling, eu ofereço a "SEMANA DO BALLET ONLINE". Isso é uma Master Class, uma espécie de aula experimental. É uma introdução ao que você irá aprender no BH.

Como no momento, esta Master Class não pode ser em formato presencial, também é ministrada online. O acesso é inteiramente gratuito, você só precisa se inscrever para receber seu login e senha.

A vantagem desse formato online é que nele, não vamos ter que passar um dia inteiro imersos e aglomerados (imagina agora com o corona vírus) para eu te mostrar os primeiros passos para você aprender a dançar Ballet.

Assim, além de aprender muito sobre Ballet, desde a primeira aula e ter esse aperitivo sobre o que o BH é capaz de fazer, ao final da SEMANA DO BALLET as(os) participantes têm a chance de se inscrever no Ballet Homeschooling, caso queiram adquirir o conhecimento completo sobre o assunto.

A Semana do Ballet é dividido em três dias.

É ideal para pessoas que não podem investir um dia inteiro para aprender sobre essa jornada e preferem aprender o conteúdo por partes e à noite.

Ao final na terceira aula, eu anuncio quando será a abertura das novas turmas do Ballet Homeschooling.

Estas turmas têm um número limitado de pessoas, pois, apesar de ser online, nós temos que responder todas as perguntas e dúvidas dos participantes.

E, uma vez abertas as inscrições, as chances são que as vagas tendem a se esgotar rapidamente, pois como estamos na internet, muitas pessoas vão se interessar, então preciso, de fato, limitar o número de alunos para que possa dar atenção aos que conseguirem se inscrever e poder acompanhar sua evolução de perto.

Então te desejo boa sorte! Te vejo do outro lado, na sala de aula.

Imagem

10 - EU NÃO TENHO DINHEIRO PARA INVESTIR NO BALLET HOMESCHOOLING

Eu acredito que o Ballet Homeschooling não é um custo. E sim um investimento.

Mais do que isso, é um investimento garantido. E se você quiser saber exatamente o que eu quero dizer com isso, dá uma olhada nesse texto aqui. Nele eu explico detalhadamente a garantia que eu ofereço para o BH.

Que tipo de garantia o Ballet Homeschooling oferece para quem consegue uma vaga no programa?

Contudo, pode ser que você não tenha dinheiro neste exato momento.

Se para fazer o BH você terá que deixar de pagar aluguel, a educação dos seus filhos ou seu plano de saúde, agora não é hora de você investir no BH.

E está tudo bem. Você precisa definir suas prioridades.

Dito isto, eu vou sugerir um exercício para você conseguir, de forma honesta, o capital necessário para investir e participar do BH.

Então vamos lá:

Passo 1: Pegue duas folhas de caderno em branco
Passo 2: Enumere cada linha, começando pelo número 1 e terminando no número 50.

Passo 3: Agora procure escrever em cada tópico uma forma diferente que você pode usar para conseguir, de maneira íntegra, o dinheiro para investir no BH.

Aqui você vai precisar exercitar sua criatividade e imaginação.

Em cada um dos 50 itens, você vai pensar em uma possibilidade que saia do óbvio e vai rever suas prioridades.

Algumas alternativas poderão resolver completamente sua situação e outras não. Pode ser que encontre uma combinação de opções que te possibilite conseguir o investimento necessário.

Mas a minha experiência diz que normalmente a solução real só vem quando você passa do número 45.

E por que isso?

Porque você começa a sair do óbvio, e as primeiras opções costumam ser as mais óbvias no início.

Então o que você tem que fazer é listar o máximo que você conseguir e não parar de olhar para o papel e procurar outras opções.

É isso que a maioria das pessoas faz. E à medida que elas dão essa missão para o cérebro delas, as verdadeiras oportunidades começam a aparecer.

Então não pare até chegar ao número 45.

No final das contas, eu acredito que quem tem abundância de criatividade e força de vontade para escrever essa lista acaba encontrando dinheiro.

Afinal, quem quer dá um jeito e persiste, quem não quer dá uma desculpa e desiste.

Só existe um jeito de você conseguir. Que é ser responsável por sua escolha. E essa é a escolha que vai ser determinante para o seu sucesso daqui por diante. E é também uma escolha que ninguém pode fazer por você. 

Imagem

11 - MAS NÃO É MELHOR EU ESPERAR ESSA CRISE PASSAR PARA EU COMEÇAR A APRENDER O BALLET NUMA ACADEMIA? 

Existe um pré-requisito muito importante para quem quer aprender a dançar Ballet: 

Você precisa escolher ser responsável pelo seu aprendizado.

Essa é a escolha que vai ser determinante para o seu sucesso daqui para frente.

Essa é também uma escolha que ninguém pode fazer por você.

Sabe por que?

Porque, no fundo, ninguém quer ser responsável pelo próprio crescimento. 

Como assim?

Quer ver? Pensa em uma profissão qualquer.

A maioria dos dentistas, médicos, donos de restaurantes e professores não saem da faculdade absolutamente preparados e prontos para atuarem no mercado. Na verdade, poucos saem da faculdade sequer cogitando que serão responsáveis por administrar sua carreira. Pensam em arrumar um emprego para finalmente ganhar dinheiro ao invés de gastar.

Em geral, o que todos esses profissionais pensam quando entram no mercado de trabalho é o seguinte:

"Vou conseguir um emprego, daí vou poder fazer cursos legais e depois de alguns anos estudando a minha área de conhecimento, vou encontrar a melhor forma de prestar um serviço diferenciado”.

E qual o foco dessa pessoa? Ser um(a) ótimo profissional e oferecer um serviço tão bom, mas tão bom, que os clientes vão bater à porta naturalmente. Porque afinal, um serviço tão bom como esse não tem como ficar sem clientes batendo na porta.

Mais do que isso, essa(e) dentista, essa(e) advogado, essa(e) terapeuta, ainda torcem para os clientes atuais indicarem o serviço para outros clientes.

Elas(es) ficam na esperança de alguém recomendar o serviço delas(es). Rezam para aparecerem clientes na sua porta.

Mas depois de anos eles percebem que essa estratégia não funciona tão bem assim. E aí o problema está criado. Porque todos os outros profissionais estão pensando e fazendo a mesma coisa, contando com a sorte ou algum empregador mágico que proporcione a vida dos sonhos.

Imagina, isso é como se fosse o McDonald’s na hora de fazer um hambúrguer. McDonald’s é o melhor hambúrguer do mundo? Não. Alguém chega ao McDonald's todos os dias pensando em como fazer o melhor hambúrguer do mundo? Provável que não.

É mais provável que quem trabalha para o McDonald’s entre lá todos os dias pensando em como fazer mais e mais desse mesmo exato sanduíche para ganhar mais dinheiro. O que importa é a quantidade.

E não tem nada de errado com isso.

Mas é isso: mais do mesmo. Uma fábrica.

E o que eu quero dizer com isso?

Quero dizer que numa academia é a mesma coisa, só mudam o bairro e as pessoas. Umas são maiores, outras menores, mas todas são um negócio e tendem a entregar as mesmas soluções.

Funcionam do mesmo jeitinho:

Você vai lá com dia e hora marcada, passa 1 hora "escondida" dentro de uma turma, onde quem é mais extrovertida(o) e habilidosa(o) aparece mais e recebe toda a atenção do mundo. É natural, os professores gostam de ensinar os alunos que gosta de aprender, ele também precisa manter seu emprego e "mostrar serviço", e como todo ser humano, quer economizar esforço. Nada de errado com isso. 

Mas a verdade é que ao final das contas, você será sempre mais um ou menos um aluno na conta corrente da academia no início do próximo mês. Vão fazer de tudo para você se manter aluna(o) pagante, criar um ambiente social e tal, mas nunca receberá aulas particulares. Não é assim que a coisa funciona. É como num hotel, a atenção é genérica. Nada de errado com isso, apenas isso não funciona para algumas pessoas.

E na verdade pode ser até muito frustrante e desanimador.

Para você ser alguém e receber atenção personalizada, vai ter que ficar numa escola bem pequena e numa escola bem pequena talvez você não tenha as mesmas oportunidades de aprendizado e experiências.

Mesmo que tenha aulas com professores renomados, será sempre aquela aulinha e pronto, acabou, passou.

Outra vez, nada de errado. Tem mercado para isso.

Mas atende a todo mundo?

Na minha opinião, provavelmente não.

A maioria das academias não cobra por resultados. Eles cobram por serviço.

O que pode passar a ideia de que, talvez, elas não estejam tão focadas em resultados assim. Pelo menos não no seu em particular. O resultado de um ou poucos, bastaria para chamar a atenção e atrair novos clientes (alunos).

Eu vou te contar uma história que acredito que vai te ajudar a entender melhor por que você precisa escolher ser o responsável pelo seu próprio aprendizado e desenvolvimento.

À medida que a vida continua e segue em frente, já contei um pouco da minha história pessoal em outros textos, vou tendo experiência e aprendizado com diferentes tipos de mestres, e afinal não importa se é um professor renomado (tive oportunidade de ter vários mestres de verdade), alunas e alunos, clientes, o fato é que cada um tem o que aprender e o que ensinar. Quanto mais vivo o meu mundo da dança, mais tenho oportunidades de conhecer e conviver com pessoas fantásticas. E aprender e trocar. E só eu sou responsável por isso, só porque estou absolutamente comprometida com meu desenvolvimento.

Veja:

Fui estudante de Ballet, mas também estudei outras danças.
Me tornei bailarina profissional e depois segui outros caminhos.
Estudei e trabalhei em outras áreas, mas nunca deixei o Ballet morrer.
Fiz uma faculdade de dança, uma Licenciatura, para aprender a ser melhor professora do que minha experiência (comecei a ministrar aulas aos 14 anos) já tinha acumulado, e olha que isso foi lá pelos 40 anos que comecei essa faculdade.
Abri minha própria escola física, depois de atuar em outras escolas, clubes, academias, ONG's e pasme, até em jirau de loja de shopping eu ministrei aulas de dança, tendo que dividir espaço com o ar condicionado central e estantes de estoque de mercadorias.
Os figurinos e dancewear de Ballet são um capítulo a parte.
E agora estou mais do que pronta para este novo desafio.

Não quero morrer com todo o conhecimento que acumulei, como meus mestres e achar que o que deixaram em seus alunos, limitados ao espaço físico de uma sala de aula física, seja o suficiente.

Vejo o Ballet como uma verdadeira joia e isso precisa atingir cada vez mais e mais pessoas. Para que possam usufruir de seus enormes benefícios. Se assim não fosse, o Ballet não teria os mais de 400 anos que tem e ainda sendo tão atual. 

Tudo que conquistei, em boa parte, foi causado pelo meu real comprometimento com a arte de dançar, foi ela que transformou minha vida e me fez ter energia e vontade de continuar, mudando o rumo um pouquinho aqui, um pouquinho ali, mas sempre com o mesmo objetivo. Compromisso e responsabilidade por mim mesma e meus sonhos.

E hoje, com a pandemia, isso fica muito claro, é a arte que está ajudando as pessoas a se manterem saudáveis, estáveis, sem pirar de vez.

Então não deixe a ilusão te pegar.

Se depois disso tudo você ainda acha que não vai conseguir aprender a dançar Ballet se não for numa academia presencial, então o problema pode ser você com suas crenças limitantes. 

Inclusive a maioria dos alunos que tive até hoje, eu sempre falo nas minhas lives compartilhadas com colegas, não foram criancinhas. Tive muitas crianças como alunos, mas a grande maioria foram adultos e adultos de toda área profissional que você possa imaginar. Pessoas sem tempo, pessoas sem dinheiro, pessoas que estavam enfrentando separação de um relacionamento, grávidas, mães de gêmeos pequenos, pessoas com problemas posturais, ambidestras, sem ritmo, sem conhecimento prévio de dança, com doenças degenerativas, com limitações articulares por conta de acidentes e fraturas graves, com idade avançada de fato (senil), enfim. Tive uma aluna que levava a caminha do cachorro para a aula, por que ele ficava muito estressado sozinho em casa, comia as roupas e passava mal.

A única coisa que tinham em comum era o fato que ninguém ia mudar a situação de vida delas a não ser elas mesmas, a vontade que tinham de dançar porque não gostavam de academias convencionais de malhação, porque não gostavam da impessoalidade, do mais do mesmo e se arriscavam até em fracassar. Porque precisavam ficar mais saudáveis, ter mais energia.

Independente de qual fosse o motivo delas, nada disto as impedia de realizar seus sonhos. Mesmo sem elas entenderem nada de dança e nunca terem tido oportunidades anteriores. Começaram do zero e conseguiram. 

Eu conto essas histórias com mais detalhes na pergunta: "NUNCA FIZ AULAS DE DANÇA, POSSO FAZER O CURSO ONLINE MESMO ASSIM? SERÁ QUE VALE A PENA? VOU CONSEGUIR APRENDER?"

Agora, a pergunta é: você escolhe ser responsável pelo seu aprendizado e desenvolvimento?

Se sua resposta é “não” ou “não sei”, está tudo bem.

Mas, nesse caso, você está no lugar errado. Não perca tempo aqui, o Ballet Homeschooling não é para você.

Porque nada do que eu falar vai fazer sentido para você se você não quer ser responsável 
pela principal força-motriz do seu aprendizado e evolução que é querer de fato tomar posse do seu auto aprendizado e evolução, independente se presencial ou online.

Contudo posso afirmar que online vai ser bem mais produtivo, visto que terá muito mais abundância de conteúdos disponíveis 24 horas por dia e suporte para tirar dúvidas particulares à sua disposição.

Imagem

12 - MAS VOCÊ ESTÁ SENDO OPORTUNISTA E SE APROVEITANDO DA SITUAÇÃO DA PANDEMIA. NINGUÉM APRENDE A DANÇAR PELA INTERNET.

Engraçado como certas perguntas nos trazem à memória coisas que nem sabíamos que ainda éramos capazes de lembrar...

Acho que eu tinha uns 8 ou 9 anos de idade e estudava em escola pública, eram as melhores naquela época e quase não existiam as privadas.

Algumas salas tinham suas pequenas bibliotecas, era assim, era normal, as pessoas compartilhavam. No início do ano, quando chegava a lista de material, as professoras pediam um ou dois livros paradidáticos diferentes para cada aluno e eles ficavam na escola, então elas iam lendo com a turma durante todo o ano, não havia a necessidade de todos os alunos comprarem todos os livros repetidos. Assim tínhamos uma variedade grande de livros à nossa disposição, e todos os alunos podiam ler para si e para a turma. Lembro com alegria de como eu gostava dessas aulas. Acho que foi daí que despertei o gosto por ler livros e que também me ajudaram muito a escrever.

Certa vez ela leu uma estória onde os heróis eram um velho, um menino e um burro. Não lembro dos detalhes, só lembro que eles tinham que levar o burro de um lugar para outro e era um caminho longo, eles passavam por campos, ladeiras, atravessavam morros, praças, ruas, enfim, era longe. E pelo caminho, cruzavam com pessoas.

E sempre quando essas pessoas passavam, eles podiam ouvir os comentários delas.

Certo comentário foi algo do tipo:

"- Que burros esses dois, porque estão andando a pé quando têm um burro à disposição para montar?"
Ouvindo aquilo, pensaram um pouco e acharam que tinham razão, então montaram o burro e seguiram o caminho.

Mais a frente, cruzaram com outras pessoas que falaram:
"- Que malvados esses dois, coitado do burro ter que carregar um velho e um menino ao mesmo tempo!"
Mais uma vez, ouvindo aquilo, pensaram que tinham razão e o velho apeou do burro, deixando só o menino.

Começaram a subir um morro, e logo encontraram outras pessoas que falaram:
"- Que absurdo, um garoto novo e cheio de energia em cima do burro, enquanto o velho cansado tem que andar e puxar um burro."
De novo ouviram os comentários e assim seguiram o que falavam.

E durante todo o caminho, aconteceu a mesma coisa. A cada comentário eles mudavam de ideia. No fim estavam exaustos e carregando o burro nas costas.

E porque eu lembrei desta estória?

Porque não importa o que se faça, as pessoas sempre vão ter suas próprias opiniões e o que é certo para uns, parece errado para outros e vice-versa.

E qual a lição que tirei disso ainda bem cedo? Que não se pode viver segundo o que os outros acham, pois sempre vão achar um motivo para criticar e não enxergar o lado positivo das coisas ou os motivos por que alguém faz o que faz do modo como faz.

E como disse em outra pergunta:

"- Quem quer dá um jeito, quem não quer dá uma desculpa".

E posso dizer ainda que alguns vão ver este curso como a grande oportunidade de suas vidas, enquanto outros vão ficar arrumando desculpas. 

Imagem

13 - QUANDO VAI ABRIR A INSCRIÇÃO PARA A PRÓXIMA TURMA?

As inscrições vão ser abertas no início do mês de junho.

Imagem

14 - COMO CONVENÇO MEU PAI, MÃE, MARIDO, ESPOSA, NAMORADO(A), COMPANHEIRA(O) A INVESTIR NESTE CURSO COMIGO?

Existem várias razões possíveis para um desses parceiros de vida ficar reticente em relação a investir no Ballet Homeschooling com você.

Um dos motivos mais comuns é a pessoa achar que o Ballet Homeschooling é uma falcatrua, só mais uma solução milagrosa para arrancar dinheiro de pessoas ingênuas.

E francamente… se a pessoa não sabe do que se trata, é natural achar isso. Mesmo que seja pelo simples fato de não ser um curso que esteja sendo ofertado de forma convencional. Já que Ballet dispensa apresentações, todo mundo tem uma ideia do que seja, ainda que superficialmente

Se eu nunca tivesse dançado na vida e alguém que eu não conheço me falasse que é possível aprender a dançar Ballet sem sair de casa, eu também duvidaria. Que isso é uma fórmula mágica com promessas sem sentido.

Ou a pessoa simplesmente não leva tão a sério.

Não é incomum ouvir histórias como essa que traduzem exatamente o que muitas das pessoas passam antes de se inscreverem no Ballet Homeschooling.

Acontece com todo mundo, já aconteceu comigo também. Quando fiz minha primeira Pós- Graduação online foi exatamente assim.

E pensa comigo, você pode ser uma daquelas pessoas que já me conhece, me segue nas redes sociais, ou me encontrou em algum festival de dança. Me assistiu em uma live conversando com colegas de profissão (bailarinas, professores de dança, etc), pesquisou tudo, ficou super animada(o) e se convenceu que este é o momento certo para se matricular no Ballet Homeschooling, está toda(o) feliz que finalmente não vai  ter que esperar a pandemia passar, que pode começar já a realizar este sonho.

Está que nem se aguenta de tanta emoção.

Daí pega o telefone e liga para a pessoa toda(o) eufórica(o), começa a fazer o discurso sobre o tanto que o Ballet Homeschooling poderia trazer benefícios e resultados incríveis.

Poderia ficar falando por meia hora, explicando como e por que o método funciona. E da oportunidade que isso representa. E depois de vender o BH melhor do que eu mesma, a pessoa do outro lado da ligação só diz::

"- Legal! 

É tipo um balde de gelo.

Se isso já aconteceu com você, e eu acredito que sim, pode ser por que a outra pessoa não tenha visto todo o material que você já viu. 

Então a primeira coisa que eu faria era convidá-la a assistir a minha SEMANA DO BALLET.

Chega junto da pessoa e fala: “Reserva uma hora pra gente assistir a um negócio juntos”.

E assistam à SEMANA DO BALLET todinha, de ponta à ponta. Isso é o que eu faria.

Essa SEMANA DO BALLET é uma introdução do Ballet Homeschooling, uma espécie de amostra grátis. São os primeiros passos. 

Lá eu explico exatamente o que é e para quem é o Ballet Homeschooling.

Provavelmente foram esses materiais que te convenceram a investir no BH. E esses conteúdos têm uma grande possibilidade de convencer a outra pessoa também.

Quando a pessoa sabe do que o BH se trata, fica mais fácil de convencê-la a entrar contigo nesse investimento.

Agora, pode ter outro motivo para a pessoa não investir no BH. Sabe qual é?

A falta de confiança em você.

A descrença absoluta de que você terá o sangue no olho necessário para aprender a dançar como um(a) bailarina(o) de verdade. 

E não culpe a pessoa.

As chances são que um dia você quebrou a confiança dessa pessoa. Não precisa ter sido algo assim tão grave. Às vezes, pequenos atos podem reduzir nossa credibilidade:

Aquela vez que você entrou na academia e disse que seria diferente, que iria se dedicar.

Ou aquela vez que garantiu que entraria de vez na dieta, mas não conseguiu segurar a barra por dois meses.

Qualquer outra vez que você combinou uma coisa e não cumpriu exatamente à risca.

O problema é que você entra em um ciclo vicioso que só te empurra para baixo...

A pessoa não investe em você, simplesmente porque acha que não terá resultados.
Você deixa de estudar, de evoluir e ganhar novas capacidades.
Sem evoluir, as chances de fracassar no futuro são muito maiores.

E só tem um jeito de quebrar esse ciclo vicioso.

O único jeito de quebrar essa sequência de pessimismo é dando esses 2 passos:

1- Admitir o seu erro. Reconhecer que um dia você não cumpriu o prometido em algum momento, que jogou para baixo do tapete um erro e que isso não vai funcionar mais.

2- Explicar que você precisa quebrar esse ciclo. Que essa é a sua hora de mudar esse jogo. 
Todo mundo espera por resultados, isso é normal, mas todos erramos. O que não dá é continuar achando sempre que o único resultado da sua vida é o fracasso.

Então, chama a pessoa e diz o seguinte:

“Se eu continuar desse jeito, vou ser a eterna promessa que tudo dá errado, que não consigo realizar um sonho. E chegou a hora de mudar essa história. 

Você investe em mim, apesar de eu ter pisado na bola em algum momento no passado. Eu estou dando minha palavra que vou me dedicar e doar cada gota de suor do meu corpo para fazer isso dar certo.

“Ninguém vai estudar mais do que eu. Não vou arrumar desculpas e nem ficar com preguiça, arrumar uma doença ou motivo”. 

E vou te falar, podem acontecer duas coisas:

1- Você faz o investimento valer a pena. E retorna a confiança da pessoa em você e a sua própria. 
2- Você não faz o BH. E isso é totalmente possível também. Porque fazer o BH exige um tempo, esforço, dedicação. Dá um trabalho danado. Você vai precisar trabalhar não só o seu corpo, mas também a sua mente. 

Nesse último caso, você aciona a garantia incondicional do BH. Se nos primeiros 30 dias você não atingir os objetivos esperados, ou se o BH simplesmente não for o que você esperava, é só mandar um e-mail para a minha equipe que eu te devolvo todo o dinheiro.

Se nos primeiros 30 dias você julgar que o Ballet Homeschooling não cumpre suas expectativas, é só me enviar um e-mail nesse período dos 30 dias iniciais que eu devolvo todo o seu dinheiro, centavo por centavo.

Então a pessoa não vai estar perdendo nada. Garantia total. Por que você vai poder devolver o investimento para a pessoa que te ajudou. 

Mas a(o) seu investidor, tem que olhar no seu olho e ver que vai dar certo.

Deixa eu te falar agora a coisa mais importante.

Não é para brigar. Em qualquer discussão, não basta estar com todos os argumentos e respostas na ponta da língua. Você tem que estar decidida(o) do seu posicionamento.

Eu tenho certeza que você já entrou em uma conversa ou disputa onde a outra pessoa ganhou, simplesmente por que estava mais confiante. E se tratando de debates, entenda uma coisa:

Quem chega duvidando, já é derrotado.

Ganha quem tem mais confiança, esta é a arma secreta de pessoas bem sucedidas.

Imagem

"

"Ballet do Zero às Pontas"

Sim, é possível ser uma pessoa comum e aprender a dançar Ballet. Mesmo começando do zero, sem saber nada, sem nunca ter visto ou experimentado dançá-lo. Isto por que o Ballet é uma arte sistematizada, ou seja, existem métodos para se transmitir seus conhecimentos e ensinamentos. É como alfabetização. Qualquer pessoa pode aprender a ler e escrever? Sim, é possível alfabetizar uma pessoa em qualquer época ou lugar.  Isto também acontece com o Ballet, pois se trata da educação do movimento e sim, de uma linguagem viva. O Ballet é uma forma de expressão que conta estórias através dos movimentos do corpo.

Ballet não é uma coisa só para crianças ou para meninas. Jovens, adultos e idosos podem e devem dançar Ballet, independente de sua idade ou gênero. (Veja matéria publicada pelo Jornal O Globo).

O Ballet é uma arte que existe há mais de 4 séculos e fala de questões da essência humana. Se desenvolveu e evoluiu e, porque não dizer, veio se transformando e se adaptando aos novos tempos, em todas as épocas por que passou desde seu surgimento. Por isto é atual até hoje.

Existem milhares de praticantes: amadores e profissionais no mundo inteiro. Isto acontece não só por que é uma arte delicada e encantadora, mas também por que representa uma fonte de saúde e prazer intensos. O Ballet pode ser tanto um hobby quanto uma profissão.

Durante muitos e muitos anos acreditou-se que não era possível aprender Ballet na fase adulta, mas isto é um mito que sempre me incomodou, pois nunca vi sentido nesta ideia. Se o corpo é o instrumento usado para dançar, como não poderia ser possível aprender a usá-lo para dançar? Como se toca um violão ou piano ou qualquer outro instrumento musical ou mesmo como se treina a voz? Se a pessoa não é muda e quer aprender a cantar, é só fazer aulas de canto e pronto, ela aprende as técnica e canta melhor. Porque seria diferente com o resto do corpo?

Então quando abri meu próprio Studio de dança em 2000 no Rio de Janeiro, tratei de colocar esta minha teoria em prática e a ministrar aulas de Ballet para todas as idades. Tive até uma aluna que ingressou aos 75 anos de idade e ficou na minha escola até os 80 anos. Sra. Terezinha dizia que sempre teve paixão pelo Ballet, mas seu pai nunca concordou com a ideia e depois de casada, seu marido também não a deixou dançar, então como ambos já tinham morrido, ela finalmente podia fazer o que sempre quis fazer e bem entendia. E só saiu por que acabou se mudando para outra cidade. Ela gostava tanto e se sentia tão bem que passava as tardes na academia. Começou com o Ballet, depois entrou para a Dança do Ventre e Dança Cigana, Yoga, era incrível mesmo, queria fazer todas as aulas, como se quisesse recuperar o tempo perdido dos anos em que não dançou.

Outra aluna que me impressionava também era a Cláudia, pois sempre dizia que o Ballet era a única coisa que a fazia não ter que tomar tantos remédios diariamente e ter menos crises. Portadora de artrite reumatoide, sofria terrivelmente com as dores e deformidades nas articulações e quando entrava em crise ficava completamente incapacitada e travava os movimentos. O Ballet era a única coisa que fazia com que as crises fossem muito mais espaçadas e garantisse qualidade de vida a ela.

Tinha também a Magali, uma gaúcha que veio morar no Rio de Janeiro, mãe de gêmeos e outra filha, quando ingressou nas aulas, contava que seu corpo doía todo e quando estava fazendo aula era como se estivesse tirando uma ferrugem de uma máquina velha. Se sentia jovem e confiante como nunca antes havia se sentido.
Certa vez, marquei um ensaio geral para acontecer dentro de uma aula pública e ela nunca tinha se apresentado em público antes. Haviam poucas pessoas assistindo e a aula correu normalmente, mas na hora da apresentação da coreografia... Magali travou. Entrou em cena e de repente, extremamente ofegante, pediu para parar que estava "sentindo um troço". Paramos todas para acudi-la, pensamos que estava com dor ou tendo algum mal estar súbito e Magali se retorcia e falava que não sabia o que estava acontecendo, que parecia que seu peito ia quebrar ao meio, que o coração estava pulando, "meu Deus, é uma emoção, eu não posso continuar, espera aí, repete, vamos entrar de novo".... aí caímos na gargalhada. Magali era muito engraçada e estava com borboletas no estômago, pois havia sentido pela primeira vez na vida a emoção de se apresentar em público.
O mais incrível é que depois disto, Magali sempre queria saber quem eram os aniversariantes do mês e quando a gente ia fazer uma apresentação de novo, vivia arrumando motivos para se apresentar hahahahah

Veja a experiência que uma de nossas alunas teve em aula



Diferente das atividades físicas desportivas, o Ballet é uma arte complexa e não só uma técnica que produz mais do que condicionamento e aptidão física, mais do que "ludicidade". Produz cultura, educação e lazer. O Ballet é um estilo de vida, de cuidado pessoal e bem-estar, pode ser uma ferramenta capaz de elevar a autoestima e chegar ao autoconhecimento. É um treinamento que proporciona felicidade, cientificamente comprovado por gerar hormônios que influenciam o estado de felicidade, mas também por estimular a autoconfiança e superação. Desenvolve habilidades e saberes como: sensibilidade, percepção, inteligências múltiplas, integrando todo o ser. É um produtor de conhecimento contínuo, pois desenvolve a atenção plena, ritmo, musicalidade, consciência corporal, memória, coordenação motora fina e ampla, amplitude do campo visual e domínio espacial, percepção de tempo/espaço, consciência intrapessoal, lateralidade entre outras.

Gostou deste artigo?

Então se inscreve no formulário abaixo para participar do evento Semana do Ballet. 100% Online, 100% gratuito. Em casa.
Este evento tem vagas limitadas
Insira seu melhor e-mail abaixo para receber o link de participação